Apresentação

Nos últimos anos o Brasil vem experimentando a transição epidemiológica observada nos países desenvolvidos.

A redução da mortalidade neonatal, entretanto, tem sido um desafio, pois requer recursos maiores, estudos epidemiológicos, planejamento, hierarquização, regionalização e integração dos diversos níveis da cadeia da oferta dos serviços de saúde Estaduais, Municipais e Federais.

Uma das estratégias adotadas nos países desenvolvidos, nos últimos anos, para a melhoria dos serviços neonatais, tem sido a realização de estudos relacionados à avaliação tecnológica e de qualidade do atendimento através da associação de Unidades Neonatais em redes ou núcleos de pesquisa. Estas redes são responsáveis pela produção dos estudos mais importantes da área da Neonatologia, desde a década de 90.

Em 1999, um grupo de pesquisadores nacionais se reuniu com o objetivo de implementar no País uma estratégia semelhante, através da criação da Rede Brasileira de Pesquisas Neonatais.