Universidade Federal do Rio Grande do Sul / Hospital de Clínicas de Porto Alegre (UFRGS - HCPA)

Professores da Internação Neonatal do Hospital de Clinicas de Porto Alegre

Andrea L Corso
Clarice B Giacomini
Renato S Procianoy
Rita C Silveira

O Serviço de Neonatologia do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA) é um centro de referência em Ensino Médico, Assistência e Pesquisa no Rio Grande do Sul. Desde sua inauguração em 1980, tem acompanhado as constantes evoluções no tratamento médico que os cuidados intensivos neonatais têm alcançado nas últimas décadas.

A fim de otimizar a assistência ao recém-nascido na Internação Neonatal, é desenvolvido um trabalho multiprofissional. Além dos 4 professores que coordenam suas equipes compostas de residentes da pediatria e neonatologia, acadêmicos de medicina da UFRGS, e 24  médicos contratados, diretamente envolvidos na assistência, o Serviço conta com enfermagem especializada, técnicos em enfermagem e fisioterapia, além de nutricionistas. O grupo multi-disciplinar é especialmente qualificado para o atendimento ao recém-nascido internado de baixo, médio e alto risco. Há diversos protocolos com rotinas assistenciais normatizando as condutas. As prescrições, dados admissionais e do nascimento dos recém-nascidos são informatizados, disponibilizando um prontuário eletrônico para cada paciente.

Na alta hospitalar, visando a extensão dos cuidados perinatais e melhores resultados de sobrevida a longo prazo, os recém-nascidos são referendados ao ambulatório do próprio Serviço de Neonatologia, onde é realizado o seguimento dos recém-nascidos de maior risco, especialmente os pré-termos de muito baixo peso (peso de nascimento inferior a 1500 gramas). Esse grupo é acompanhado com protocolos específicos, realizando um programa médico assistencial diferenciado, com diferentes especialidades e sob a coordenação da Chefia do Serviço de Neonatologia.

O HCPA é considerado nível terciário no atendimento SUS, a maternidade é de alto risco, de forma que os 20 leitos exclusivos para UTI, 20 leitos de cuidados intermediários convencionais, 10 leitos de cuidado canguru e 38 leitos de recém-nascidos normais (Alojamento Conjunto) estão sempre ocupados. O número de partos em 2015 foi 4000.

No ano de 2015 foram admitidos 16 pacientes com idade gestacional entre 24 e 27 semanas, 47 entre 28 e 31 semanas, 78 entre 32 e 33 semanas, 345 entre 34 e 36 semanas.

Na internação neonatal são utilizados todos os recursos modernos e atuais de tratamento intensivo neonatal, como ventilação mecânica convencional, ventilação de alta frequência, óxido nítrico inalatório, surfactante pelas técnicas convencional, INSURE e minimamente invasiva, e hipotermia terapêutica ativa para encefalopatia hipóxico-isquêmica.

A qualificação da equipe médica responsável pelo ensino é uma preocupação constante. Todos os professores possuem o Título de Habilitação em Neonatologia, três são Doutores e um Mestre. Todos os médicos contratados possuem o Título de Habilitação em Neonatologia, sendo dois Doutores na área de Neonatologia e oito Mestres. Há 11 médicos residentes da Neonatologia (6 R4 e 5 R3), além dos médicos residentes do Serviço de Pediatria que treinam na Neonatologia.  Os alunos da graduação da medicina e enfermagem da UFRGS participam das atividades diárias, juntamente com os médicos residentes da pediatria ( R1, R2) e gineco-obstertrícia (R1). São realizados “rounds” com as  equipes de professores, seminários teóricos, e uma reunião semanal do Serviço com a participação de todos os professores, médicos-contratados, residentes e acadêmicos em que são apresentados casos clínicos preparados pelos residentes da Neonatologia e, quando pertinente, são convidados as especialidades envolvidas no caso clínico. Mensalmente, há uma reunião de mortalidade, com apresentação de dados estatísticos. Os acadêmicos e os internos da Faculdade de Medicina da UFRGS realizam estágio prático curricular no Serviço de Neonatologia.

Inúmeros projetos de pesquisa de alunos dos vários Programas de Pós-Graduação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul têm sido desenvolvidos no Serviço de Neonatologia, resultando em publicações em revistas internacionais com alto fator de impacto e com reconhecimento internacional.