Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP - EPM)

As atividades de ensino, assistência e pesquisa na UTI Neonatal do Hospital São Paulo, Hospital Universitário da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (HSP-EPM/Unifesp), estão inseridas no contexto de atuação da Disciplina de Pediatria Neonatal do Departamento de Pediatria da EPM-Unifesp.

A Disciplina de Pediatria Neonatal da EPM/Unifesp e sua UTI Neonatal têm como Missão:

Difundir o conhecimento na Universidade e para o país, buscando a formação de profissionais capacitados a trabalhar na área neonatal e oferecendo a alunos de graduação de medicina, residentes de pediatria, residentes de neonatologia, pós-graduandos e aos profissionais da área de saúde em geral, conhecimentos atualizados em neonatologia.

Oferecer terapia de excelência aos recém-nascidos, visando diminuir a mortalidade neonatal e melhorar o prognóstico a longo-prazo destes pacientes.

A UTI Neonatal do Hospital São Paulo participa da Rede Brasileira de Pesquisas Neonatais desde a sua criação, em 2008, sendo os pesquisadores responsáveis a Dra Ruth Guinsburg, Professora Titular da Disciplina de Pediatria Neonatal da EPM/Unifesp e a Dra Maria Fernanda Branco de Almeida, Professora Associada da Disciplina de Pediatria Neonatal da EPM/Unifesp.

Assistência

O Hospital São Paulo é um hospital público federal, de nível terciário que atende mulheres com gestações de alto risco. O serviço tem cerca de 1000 nascimentos ao ano, dos quais cerca de 30% são prematuros e 20% portadores de anomalias congênitas ou síndromes genéticas. Os neonatos estão assim distribuídos, de acordo com a idade gestacional e peso ao nascer:

Para atender a esses neonatos, a UTI Neonatal conta com 31 leitos, assim distribuídos:

Unidade de Cuidados Intensivos: 2 salas para recém-nascidos instáveis, sendo uma com 7 leitos destinados preferencialmente a prematuros extremos, e outra com 9 leitos para neonatos com anomalias congênitas graves, que necessitam de estabilização e/ou tratamento cirúrgico.

Unidade de Cuidados Intermediários - Convencional: 1 sala com 9 leitos destinados aos neonatos que tiveram alta da UTI ou que necessitem de investigação diagnóstica.

Unidade de Cuidados Intermediários - Canguru: 1 sala com 5 leitos destinados a bebês prematuros estáveis e com peso acima de 1250g e suas mães. As mães têm a opção de permanecer por 24 horas na Unidade, prestando atendimento ao seu bebe pelo Método Canguru.

Alojamento Conjunto: 8 leitos com acomodações para os recém-nascidos e suas mães destinados a recém-nascidos a termo e saudáveis.

Sala de Parto: localizada no Centro Obstétrico, equipada com infraestrutura para o atendimento (estabilização e reanimação) de 3 neonatos ao nascimento, simultaneamente, e para o transporte para a UTI Neonatal, quando necessário.

Contíguos à Unidade, encontram-se o Posto de Coleta de Leite Humano, uma sala para Triagem Auditiva e uma sala para Triagem Neonatal (Exame do Pezinho) ou para reuniões com a família.

A Unidade Neonatal do Hospital São Paulo atende exclusivamente aos bebês nascidos no próprio Hospital São Paulo. A Maternidade, coordenada pelo Departamento de Obstetrícia da Escola Paulista de Medicina-Unifesp, está inserida como centro de referência terciária de alta complexidade para o programa do Município de São Paulo, a Rede de Proteção à Mãe Paulistana. O serviço de obstetrícia atende as gestações de alto risco, seja por doenças maternas ou fetais, em particular, os fetos portadores de anomalias congênitas.

Para a assistência dos recém-nascidos, a Unidade Neonatal conta com uma equipe de 15 pediatras, neonatologistas, os quais são docentes ou médicos assistentes da Disciplina de Pediatria Neonatal, a maioria deles com mestrado e doutorado, que coordena e supervisiona diariamente as atividades de assistência e ensino na UTI de 13 pós-graduandos, 23 residentes em neonatologia, 12 residentes em medicina intensiva pediátrica e 48 residentes em pediatria, em sistema de rodízio, ao longo do ano. A equipe de neonatologistas conta também com 13 médicos plantonistas. Além dos neonatologistas, atuam na Unidade 15 enfermeiras e 47 técnicas em enfermagem, 7 fisioterapeutas, 4 fonoaudiólogas e 1 psicóloga. Participam da assistência na Unidade, residentes em fisioterapia, em fonoaudiologia e em psicologia.

Devido à alta complexidade dos neonatos assistidos na UTI Neonatal, sobretudo os prematuros com muito baixo peso ao nascer e os portadores de anomalias congênitas, eles requerem intervenções de múltiplas especialidades médicas, todas disponíveis no Hospital São Paulo: cardiologia pediátrica, nefrologia pediátrica, neurologia, oftalmologia, genética, hepatologia, infectologia, neurocirurgia, cirurgia cardíaca e cirurgia pediátrica, entre outras.

O Hospital São Paulo dispõe de serviços de laboratório clínico e anátomo-patológico, banco de sangue, radiologia com exames de ultrassonografia, tomografia e ressonância magnética, ecocardiograma morfológico, emissões otoacústicas, potencial evocado auditivo de tronco encefálico e fundoscopia binocular, entre outros, com apoio diagnóstico dos docentes e médicos dos diferentes departamentos da Escola Paulista de Medicina. A UTI Neonatal conta com uma equipe de neonatologistas treinada em Ecocardiograma funcional que assessora a equipe na assistência hemodinâmica em período integral, e neonatologistas capacitados na avaliação da atividade cerebral, por meio do eletroencefalograma de amplitude integrada.

A equipe de neonatologistas conta com 30 instrutores em Reanimação Neonatal que coordenam as atividades de estabilização e reanimação neonatal na Sala de Parto e capacitam, ao longo do ano os residentes em pediatria, neonatologia, medicina intensiva pediátrica, obstetrícia e ginecologia, anestesiologia e genética, além dos profissionais paramédicos, enfermeiras, técnicas em enfermagem, fisioterapeutas e fonoaudiólogos. Os residentes em neonatologia são capacitados também em reanimação do prematuro e transporte do recém-nascido de risco. Além disso, os neonatologistas, organizados em grupos, envolvendo docentes, médicos assistentes e pós-graduandos, definem as diretrizes para a assistência respiratória, hemodinâmica, hematológica, infecciosa, nutricional, além da prevenção de lesão cerebral.

A equipe multidisciplinar, formada por neonatologistas, enfermeiras, fisioterapeuta, fonoaudiólogas, psicóloga, nutricionista e assistente social atuam continuamente junto às equipes da UTI na promoção da assistência humanizada ao recém-nascido, difundido as práticas do método canguru, incluindo o incentivo à posição canguru, a promoção do aleitamento materno, o controle da ambiência e os cuidados centrados na criança e na família. Também nessa linha de assistência à família, foi criado um grupo multiprofissional de cuidados paliativos que discute os casos de recém-nascidos com doenças ameaçadoras da vida e interage com a equipe multiprofissional que assiste o recém-nascido com o objetivo de promover uma assistência humanizada não só ao recém-nascido, mas também à sua família.

Com o objetivo de promover a qualidade da assistência neonatal, são realizadas reuniões periódicas para controle de infecção intra-hospitalar, assistência ao recém-nascido com anomalia congênita, discussão dos óbitos e de estatística vital. Mensalmente é realizada reunião para a avaliação de indicadores de desempenho da qualidade da assistência nos seus diferentes processos, com foco na análise de causa, identificação dos desvios em relação à meta estabelecida e definição de ações corretivas, visando o aprimoramento da assistência. Além disso, anualmente os indicadores da Unidade são comparados aos das demais unidades da Rede Brasileira de Pesquisas Neonatais e da Rede Vermont Oxford Network, com o objetivo de identificar oportunidades de melhoria na assistência.

Além das unidades hospitalares, ambulatórios de seguimento dos recém-nascidos de risco e serviços de apoio fazem parte da Unidade Neonatal.

Ambulatório de Prematuros: é um centro especializado no acompanhamento de prematuros, desde a alta hospitalar até o fim da adolescência, buscando promover seu crescimento e desenvolvimento. Nele são atendidos os prematuros com peso ao nascer <2.000g nascidos no Hospital São Paulo e aqueles com peso <1.500g nascidos nos hospitais afiliados à Sociedade Paulista para o Desenvolvimento da Medicina. A cada ano, cerca de 100 prematuros ingressam no Ambulatório e, atualmente, acompanhamos aproximadamente 1400 crianças e adolescentes. O atendimento no Ambulatório é realizado por profissionais de diversos segmentos da área da saúde: pediatra, neurologista infantil, oftalmologista, fonoaudiólogo, psicólogo, fisioterapeuta, fisiatra, odontologista, assistente social, nutricionista, dermatologista e psicopedagogo.

Ambulatório de Aleitamento Materno/Icterícia e Banco de Leite: nesse ambulatório são atendidos recém-nascidos egressos do Hospital São Paulo, em aleitamento materno e com icterícia, com a finalidade de acompanhamento próximo a fim de evitar que casos de risco de hiperbilirrubinemia desenvolvam encefalopatia bilirrubínica. Além disso, medidas para promover o aleitamento materno são amplamente discutidas, habilitando pediatras e neonatologistas a otimizar o aleitamento materno em sua vida profissional. Junto a esse ambulatório, encontra-se o Banco de Leite Humano responsável pela captação, pasteurização e distribuição do leite humano para os neonatos internados na Unidade Neonatal.

Ambulatório de Perinatologia: constitui-se em um ambulatório de atendimento conjunto da Disciplina de Pediatria Neonatale de Medicina Fetal da Escola Paulista de Medicina - Unifesp com o objetivo de, em gestações de risco para prematuridade ou com fetos portadores de anomalias congênitas, fornecer informações à família de modo coordenado entre as equipes de obstetrícia e neonatologia, além de planejar e tomar decisões conjuntas, visando a assistência e a formação de profissionais de saúde capacitados a se comunicar com a família e ensinando-os a trabalhar em equipe.

Ensino

A Disciplina de Pediatria Neonatal da EPM-Unifesp, com seu corpo de docentes e de médicos assistentes, desempenha atividades nas áreas de graduação, residência médica, pós-graduação e extensão.

Na graduação, o estágio de neonatologia para o 6º ano médico é realizado na Unidade Neonatal do Hospital Municipal Vereador José Storópolli no período da manhã e no Campus São Paulo no período da tarde. A duração de cada estágio é de aproximadamente 24 dias para grupos de 8 a 10 alunos, em período integral, das 8 às17 horas. Os alunos prestam assistência aos recém-nascidos na sala de parto, no alojamento conjunto e na unidade de médio risco.

Na residência médica em pediatria, participamos da formação dos 48 residentes de primeiro e segundo ano do Departamento de Pediatria da Escola Paulista de Medicina. O treinamento para os 24 residentes de primeiro ano é realizado, em sistema de rodízio, no alojamento conjunto e na sala de parto do Hospital São Paulo, nos ambulatórios de prematuros e de aleitamento materno/icterícia e no Centro de Simulação. Os 24 residentes de segundo ano realizam estágios nas unidades de cuidados intensivos e de cuidados intermediários do Hospital São Paulo.

A Disciplina de Pediatria Neonatal da EPM/Unifesp tem um dos maiores programas de Residência Médica em Neonatologia do Brasil, formando a cada ano 12 médicos neonatologistas procedentes de diversas regiões do país. O objetivo do programa é formar o pediatra em neonatologia, com ênfase nos cuidados ao recém-nascido ao nascimento e internação em alojamento conjunto, em unidade de cuidados intermediários e de cuidados intensivos, assim como nos cuidados relativos ao desenvolvimento dos recém-nascidos prematuros e de muito baixo peso. O programa é realizado em período integral durante 24 meses em sistema de rodízio. A carga horária anual compreende 2.880 horas, incluindo 320 horas de atividades teóricas (11%).

No sistema de mobilidade acadêmica, a Disciplina de Pediatria Neonatal recebe alunos e residentes em pediatria e neonatologia de outros serviços da Cidade de São Paulo, interior do Estado de São Paulo e demais estados do país.

Na pós-graduação, a Disciplina de Pediatria Neonatal contribui para o aperfeiçoamento da pesquisa e ensino em âmbito nacional. A principal linha de pesquisa nessa área compreende o grande grupo de “Estudos em Saúde e Doenças do Recém-Nascido”, com quatro linhas principais, que incluem: doenças e assistência no período neonatal, mortalidade neonatal, dor no recém-nascido, crescimento e desenvolvimento de prematuros e ensino em neonatologia. Os resultados vêm sendo publicados em revistas internacionais com índice de impacto, em média, superior a 1,5 e em revistas nacionais de grande repercussão na pediatria brasileira.

Recentemente, a Disciplina de Pediatria Neonatal criou um Centro de Simulação Realística que tem como objetivo treinar residentes e médicos nas habilidades cognitivas, técnicas e comportamentais através da prática reflexiva no ambiente de reanimação neonatal.

Disciplina de Pediatria Neonatal
Rua Marselhesa, 630 - São Paulo/SP, CEP 04020-060
E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Site: http://www.pediatria.unifesp.br/neonatal